conceitos básicos investidor

Conceitos básicos que todo investidor deve conhecer

O universo do investimento é muito amplo e, quanto mais mergulhamos nele, mais termos, siglas e conceitos parecem surgir. A boa notícia é que para investir não é preciso ser especialista e com algumas informações básicas já é possível fazer seu dinheiro render, sem cair em ciladas.

Para te ajudar, selecionamos uma lista de 5 conceitos essenciais para se dar bem no mercado e começar a investir. Veja só!

1.  Rentabilidade

Rentabilidade talvez seja o conceito mais procurado no mercado financeiro. Significa o percentual de retorno que você vai ter com o investimento feito. Ao final do período investido, quando você resgatar o dinheiro, é só calcular a diferença entre o valor investido e o resgatado.

Este valor será variável, de acordo com os percentuais de remuneração de cada tipo de investimento. Ou seja, enquanto aplicar no Tesouro Direto te dá uma porcentagem de rentabilidade, fazer um empréstimo na EmCash pode te dar outro rendimento.

Sendo assim, ao pesquisar quais os melhores tipos de investimento para você, é importante verificar qual a maior rentabilidade.

Rentabilidade x Lucratividade

É preciso lembrar que rentabilidade não é o mesmo que lucratividade. Afinal, as aplicações e transações financeiras geram custos. Sendo assim, do valor resgatado (ou seja, o valor rendido), deve-se descontar as taxas operacionais, impostos, inflação e outros até chegar no lucro final.

2.  Liquidez

Um conceito que pode ser ainda mais importante que a rentabilidade é a liquidez. Afinal, não basta render muito se você não puder ter o valor em mãos quando precisar.

Não são todas as modalidades de investimento que permitem que você faça o resgate do seu dinheiro imediatamente e, outras até permitem, mas será cobrada uma taxa para isso. E essa característica está diretamente atrelada à liquidez.

A liquidez é a velocidade e a facilidade que um ativo tem para ser convertido em dinheiro na conta corrente. Quanto mais alta a liquidez do investimento, mais rápido você poderá transferir o valor investido para sua conta, sem prejuízos.

Um bem imóvel, por exemplo, tem liquidez baixa, uma vez que para receber o dinheiro, você precisa vender o apartamento ou a casa. E isso leva tempo. Por outro lado, investimentos no Tesouro Direto (Tesouro Selic) e no CDB (Certificado de Depósito Bancário) têm liquidez diária, isto é, você pode resgatar a qualquer dia.

Importante: em alguns tipos de investimento, a rentabilidade prevista considera um prazo mínimo de vencimento para resgate. Caso você retire o valor antes do prazo, poderá perder dinheiro. É o caso de debêntures ou LCI e LCA, títulos de renda fixa que financiam atividades imobiliárias e de agronegócio.

3.  Risco

Ao definir sua carteira de investimentos, você já entendeu que precisa encontrar um balanço entre rentabilidade e liquidez. Isso porque você quer lucrar mais, mas também precisa ter um valor disponível a qualquer momento para emergências e para concretizar seus sonhos a curto e médio prazo. Mas junto com esses conceitos, o fator “risco” também deve compor este tripé. O equilíbrio rentabilidade + liquidez + risco é o ideal para uma carteira sólida.

O risco é a incerteza em relação à rentabilidade de um investimento. Um ativo de alto risco pode ter um retorno abaixo do esperado ou até a chance de se perder tudo o que foi investido. Ou, gerar um retorno muito melhor, mas sem que o investidor tenha antes uma previsibilidade.

Os investidores podem ter um perfil:

  • Conservador: aquele que quer segurança em suas aplicações e quer o mínimo de risco em seus investimentos.
  • Moderado: também preza pela segurança, mas está mais disposto a correr alguns riscos a longo prazo. É mais versátil ao procurar equilibrar rentabilidade e risco.
  • Agressivo: tem alta tolerância aos riscos e entende que eles são importantes para garantir um retorno maior a longo prazo. Para isso, é importante que tenham grande conhecimento em investimentos e estejam atentos às flutuações do mercado financeiro.

E isso varia conforme a sua disposição para correr riscos. Existe um mito que apenas investidores agressivos terão altos ganhos. E, na maioria dos casos, quanto mais arriscado for o investimento, mais rentável ele será. Mas nem sempre isso é verdade, o que possibilita que investidores conservadores tenham boa rentabilidade de acordo com as modalidades que escolher.

4.  Diversificação

Para reduzir os riscos, é importante ter diversificação da carteira de investimentos. Você já deve ter ouvido falar sobre isso. Mas o que significa diversificar?

Esta estratégia consiste em alocar seus recursos em diferentes aplicações. Dessa forma, mesmo que uma ou algumas delas não tenham um bom desempenho, você não prejudicará sua lucratividade porque poderá contar com outras aplicações que estejam positivas no momento.

Suponha que você tenha investido 100% do seu dinheiro em ações de uma empresa que está em alta no mercado. Mas, por motivos econômicos (como escândalos de corrupção, por exemplo), as ações despencam, já que a volatilidade do mercado de ações é muito alta. Você perderia tudo, certo?

Com a diversificação, você pode investir uma parte em renda fixa, outra em títulos de renda variável, com taxas de risco e rentabilidade diferenciadas.

5.  Pulverização

Apesar de serem conceitos parecidos, diversificar não é o mesmo que pulverizar os investimentos. Enquanto a primeira faz a diluição dos riscos em ativos com retornos financeiros diferentes, a pulverização pode aumentar suas chances de risco e ainda reduzir a rentabilidade.

Isso porque pulverizar significa alocar uma pequena quantia em uma grande quantidade de ativos. Nesse caso, você está diversificando tanto que está mitigando também os seus ganhos. Pequenos valores rendem pouco, geralmente, e isso feito em vários ativos diferentes fará com que todos eles rendam lentamente.

Dessa forma, antes de começar a investir, procure pesquisar todas as variáveis relacionadas ao ativo. Assim, você garante ganhos maiores, em menos tempo.

Quer saber mais sobre investimentos para tirar maior proveito? Então entenda agora o que é taxa Selic e como ela pode impactar a sua carteira de investimentos e continue seu aprendizado!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.